segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Origens de Lumiar - parte II


Continuando a postagem anterior, agora com a origem de Lumiar propriamente dita:

A história de Lumiar está intrinsecamente ligada à colonização de Nova Friburgo pelos imigrantes suíços. Mas sua origem é bem anterior à colonização suíça no século XIX.
A região já era conhecida pelos portugueses. De acordo com pesquisas históricas, estas terras eram conhecidas por Canto Gallo, e eram usadas por contrabandistas do ouro proveniente das Minas Gerais, como rota de contrabando.
Alguns indígenas também mercaram presença no local, numa tentativa de fugir da perseguição do homem branco, que os expulsara do litoral. Também estuda-se a existência de núcleos quilombolas na região.
Antes da chegada dos suíços, o nobre francês Felipe de Roure habitava o local. Estudos históricos indicam que ele teria vindo junto com a Família Real portuguesa, fugindo das guerras napoleônicas na Europa. Ele teria construído o chalé que ainda hoje existe no centro da vila. O nome Lumiar foi dado em homenagem à sua esposa, Michaela de Abreu, portuguesa nascida no Paço de Lumiar, vilarejo hoje pertencente à Lisboa. O nome significa “lume, fogo, brilho”.
Anos depois do pioneirismo de Felipe de Roure, começaram a chegar os primeiros suíços. Estes, devido às inúmeras dificuldades enfrentadas na colônia do Morro Queimado, requisitaram, junto ao príncipe regente, D. Pedro II, novas terras para o plantio, que lhes concedeu lotes no Vale do Macaé, região que abrange os hoje distritos de Mury, Lumiar e São Pedro da Serra, e boa parte da Estrada Serramar. Com o deslocamento dos primeiros suíços, logo novos colonos buscaram oportunidades na região, formando os povoados de Lumiar, São Pedro da Serra, Boa Esperança, Benfica e adjacências. Assim, Lumiar foi colonizada entre 1819 e 1822, através dos suíços que abandonaram a Colônia do Morro Queimado.
Havia no Vale do Macaé três grandes fazendas: Lumiar, pertencente à família de Roure; São Pedro, de propriedade da família Heringer; e Pedra Riscada, da família Marchon. Essas três fazendas originaram os primeiros núcleos coloniais, que se transformariam nos distritos de Lumiar e São Pedro da Serra. Os Marchon posteriormente compraram a Fazenda Lumiar, mudando-se para sua sede, o que pode explicar a retração do povoado da Pedra Riscada.
Criado a 06 de abril de 1889, Lumiar é o mais antigo distrito de Friburgo. São Pedro da Serra, que já foi a sede do distrito, desmembrou-se de Lumiar em 1987, passando a ser o 7º Distrito. Lumiar é o 5º Distrito.
A região ficou semi-isolada ao longo de todo o século XIX e boa parte do século XX, devido à dificuldade de acesso – estrada sem pavimentação, falta de um transporte urbano eficiente, falta de energia elétrica etc. Com uma produção de subsistência e cultivo do café, o modo de vida interiorano (cavalos como meio de transporte, fogão de lenha e lamparinas, economia assentada em recursos locais) perdurou até a ampliação e asfaltamento da RJ-142 ou Estrada Eugênio Guilherme Spitz (Mury-Lumiar), em 1982, e com a chegada da energia elétrica em 1985, que tiraram a região do isolamento. A música Lumiar, do cantor e compositor Beto Guedes, ajudou a lançar o 5º Distrito como região turística ainda na década de 1970.
Hoje Lumiar tenta se inserir no contexto globalizado do século XXI, buscando no turismo eco-rural o seu crescimento.

2 comentários:

  1. SÓ COMPLEMENTANDO A INFORMAÇÃO, A MÚSICA LUMIAR FOI COMPOSTA PELO BETO GUEDES EM PARCERIA COM RONALDO BASTOS -MEMBRO DO CLUBE DA ESQUINA- , QUE ALIÁS ESTÁ SEMPRE EM FRIBURGO ONDE TEM UMA FAZENDA.

    ResponderExcluir
  2. Adorei! Sou descendente de Felipe de Roure e Micaela e nossa família tem muito orgulho de estar relacionada à fundação de Lumiar. Parabéns pelo blog. Luiz Felipe Lobo.

    ResponderExcluir